Ritual de pesca de povo amazônico é interrompido

Homem Enawene Nawe. Os índios expressaram o seu ‘desespero’ com a escassez de peixe nos rios
Homem Enawene Nawe. Os índios expressaram o seu ‘desespero’ com a escassez de peixe nos rios
© Fiona Watson/Survival

Os índios Enawenê Nawê da Amazônia Brasileira expressaram o seu ‘desespero’, pois o seu ritual anual de pesca não conseguiu fornecer quase nenhuma quantidade de peixe.

Este é o quarto ano consecutivo que este povo se depara com um estoque de peixes drasticamente baixo nos seus rios, e o segundo ano em que não foi possível realizar o ritual.

Relata-se que a captura deste ano foi ainda inferior à de 2009 quando os índios enfrentaram uma escassez catastrófica de comida.

A poluição das barragens que estão sendo construídas na bacia do rio Juruena está sendo culpada pela falta de peixe. Os índios não deram o seu consentimento ao projeto e têm avisado: ‘Não queremos as barragens sujando nossa água, matando nossos peixes, invadindo nossas terras’.

Uma nova hidrelétrica sendo construída na floresta amazônica brasileira.
Uma nova hidrelétrica sendo construída na floresta amazônica brasileira.
© Survival

Durante o ritual Yãkwa, os homens Enawenê Nawê passam meses na floresta, construindo barragens de madeira para apanhar peixe, e depois defumam o peixe e o transportam de canoa para as aldeias.

Este é um elemento fundamental para a cultura da tribo e é essencial na dieta dos Enawenê Nawê, visto que não comem carne.

O Ministério Público brasileiro criou um ‘programa de emergência’ e determinou que o departamento federal para assuntos indígenas, a FUNAI, e as empresas de construção de barragens, conseguissem comida para a tribo.

O Yãkwa foi reconhecido como parte do patrimônio histórico e cultural do Brasil e a UNESCO alertou para a sua ‘proteção urgente’.