Ferrovia paralisada por bloqueio da tribo mais ameaçada do mundo

Indígenas bloqueiam principal estrada de ferro para exigir que seus direitos à terra sejam respeitados
Indígenas bloqueiam principal estrada de ferro para exigir que seus direitos à terra sejam respeitados

© CIMI/Survival

Um protesto de indígenas, incluindo a tribo mais ameaçada do mundo, os Awá, forçou a maior mina de minério de ferro do mundo a suspender as operações na sua principal estrada de ferro.

Na terça-feira, centenas de índios incluindo os Awá, chegaram aos trilhos da estrada de ferro de Carajás, da Vale, para expressar sua oposição aos planos do governo brasileiro que, caso aprovados, poderiam enfraquecer os direitos dos indígenas à terra.

A manifestação acontece após meses de revolta provocada pela Portaria 303 que, caso legalizada, coibiria a expansão de territórios indígenas.

O governo se recusou a excluir a portaria proposta, embora viole leis nacionais e internacionais, ao sugerir que certos projetos podem ser executados em terras indígenas sem a necessidade de consulta adequada.

As frustrações transbordaram na última terça, levando diferentes tribos a se unirem para exigir que seus direitos à terra sejam respeitados.

O bloqueio foi o fato mais recente entre muitas polêmicas envolvendo a mega-mineradora, Vale, cuja estrada de ferro faz fronteira com o território Awá.

No mês passado, um juiz suspendeu uma sentença que impedia a companhia de duplicar a estrada de ferro para aumentar a produção.

A estrada de ferro da Vale, que faz fronteira com território Awá, já gerou polêmica.
A estrada de ferro da Vale, que faz fronteira com território Awá, já gerou polêmica.
© Fiona Watson/Survival

A decisão foi um golpe para os Awá, que culpam a estrada por afastar os animais que caçam, e pelos milhares de invasores que se instalaram em suas terras.

Stephen Corry, Diretor da Survival International, declarou hoje: ‘Se o Brasil quer assumir a liderança e mostrar ao mundo que respeita seus povos indígenas, não deveria ceder às propostas nocivas de alguns lobistas rurais. Esse protesto mostra que, para tribos como os Awá, os direitos à terra são um caso de tudo ou nada, ou vai ou racha’.