Vitória! Campanha da Survival para salvar os últimos Kawahiva triunfa!

Os Kawahiva foram forçados a viver em fuga na Amazônia por anos. Essa é uma imagem estática retirada de um filme feito pela força-tarefa do governo Brasileiro em um encontro inesperado.

Os Kawahiva foram forçados a viver em fuga na Amazônia por anos. Essa é uma imagem estática retirada de um filme feito pela força-tarefa do governo Brasileiro em um encontro inesperado.

Após meses de pressão pelos apoiadores da Survival ao redor do mundo, o Ministro da Justiça do Brasil finalmente agiu para salvar a tribo isolada Kawahiva do genocídio.

A campanha foi lançada em outubro de 2015, apoiada pelo vencedor do Oscar, Mark Rylance, visando pressionar o Ministro brasileiro a demarcar e proteger o território da tribo isolada na Amazônia.

Após mais de 14,000 emails enviados ao Ministério por apoiadores da Survival, o recém-nomeado Ministro da Justiça Eugênio Aragão assinou a portaria declaratória reconhecendo o território como posse da tribo em 19 de abril.

Agora, é essencial que o Brasil garanta que a portaria seja completamente implementada e que o direito da tribo de viver em sua terra, livre de invasões, seja respeitado. Considerando a situação política no Brasil, a Survival vai continuar a monitorar os acontecimentos no, e ao redor do, território da tribo.

O aclamado ator e embaixador da Survival Mark Rylance narrou o filme da Survival Os Últimos Kawahiva e também apareceu na CNN e Channel Four para chamar a atenção para a situação da tribo.

O aclamado ator e embaixador da Survival Mark Rylance narrou o filme da Survival Os Últimos Kawahiva e também apareceu na CNN e Channel Four para chamar a atenção para a situação da tribo.

Também é vital que a FUNAI, e seu pequeno e dedicado time de indigenistas, que têm monitorado a situação há anos, sejam financiados, apoiados e equipados adequadamente, independentemente da situação política no país.

O embaixador da Survival, Mark Rylance, recebeu a notícia positivamente, dizendo: “Isso é excelente – ajudar a proteger um povo único e vulnerável que faz parte de nossa diversidade humana, independentemente de seu tamanho. Agora eles têm a chance de sobreviver.”

As tribos isoladas são os povos mais vulneráveis do planeta. Elas enfrentam aniquilação pela violência de estranhos que roubam suas terras e recursos, e por doenças como a gripe e o sarampo, às quais não têm resistência.

A melhor maneira de proteger as tribos isoladas e possibilitar que elas determinem seus próprios futuros é reconhecer seu direito à terra e auto-determinação. Essa portaria é um passo importante na manutenção desses direitos aos Kawahiva, que têm fugido de madeireiros e de outras ameaças externas há anos, e também foi bem recebida pelos aliados da tribo no Brasil, muitos dos quais têm feito campanhas por ela há anos.

O diretor da Survival, Stephen Corry disse: “É claro que é muito gratificante que a pressão exercida pelos nossos apoiadores tenha dado resultado, e a medida tomada pelo Ministro da Justiça é bem-vinda. Mas agora precisamos ver uma prova clara de que o decreto está sendo respeitado e as autoridades estão protegendo o território dos Kawahiva. Somente então iremos verdadeiramente poder celebrar essa conquista da força do poder das pessoas e da pressão internacional, contra as expectativas.”