Índios brasileiros presos por jagunços

A situação dos Guarani é uma das piores no Brasil
A situação dos Guarani é uma das piores no Brasil
© Fiona Watson/ Survival

Um grande grupo de índios Guarani no Brasil está sendo mantido prisioneiro por jagunços contratados por fazendeiros. Os índios estão sem acesso a alimentos, água e assistência à saúde desde o momento que os pistoleiros cercaram sua comunidade há um mês.

Os pistoleiros começaram a ameaçar os Guarani e impedir que qualquer pessoa saia ou entre na área logo após que os índios retornaram para sua terra ancestral, que está agora ocupada pela fazenda Triunfo.

Apesar dos apelos dos Guarani para receberem assistência policial e assistência médica de urgência, sua comunidade, conhecida como Ypo’i, ainda está cercada. Uma equipe da Fundação Nacional de Saúde teria se recusado a entrar, alegando ‘problemas de segurança’. Relatórios indicam que os únicos funcionários que entraram com autorização dos pistoleiros são uma equipe da Fundação Nacional do Índio (FUNAI) que entregou algumas cestas básicas para a comunidade.

Survival International tem escrito às autoridades brasileiras exigindo ação policial imediata para parar o cerco à comunidade.

A última vez que os Guarani de Ypo’i tentaram reocupar as suas terras, em outubro de 2009, foram violentamente atacados por homens armados. O corpo de um membro da comunidade, Genivaldo Verá, foi encontrado sem vida e com marcas de espancamento em um rio próximo.

Apesar de extremo, o conflito é apenas um dos muitos em que os Guarani de Mato Grosso do Sul, no centro oeste do Brasil, tentam recuperar pequenos fragmentos de suas terras ancestrais em face da dura resistência de fazendeiros ricos e agricultores que recorrem frequentemente à violência.

A maioria dos Guarani vive em reservas superpovoadas ou em acampamentos improvisados na beira de rodovias, como descrito no recente filme ‘Terra Vermelha’ (‘Birdwatchers’).

Em uma carta ao presidente Lula no mês passado, os líderes Guarani disseram: ‘Temos a certeza que o senhor que quer entrar para a história como um grande presidente desse país e para a humanidade, não queira entrar também como massacrador do nosso povo. Caso não demarcar as terras, infelizmente é isso que continuará a acontecer conosco’.

O diretor da Survival, Stephen Corry, disse hoje, ‘Qualquer pessoa que desconheça a situação terrível dos Guarani ficaría chocada que as autoridades estão preparadas a presenciar uma comunidade pacífica e indefesa sendo refém desta maneira. Os Guarani, no entanto, já sabiam que suas terras estão nas mãos de pessoas dispostas a recorrer à intimidação violenta para mantê-las, e que as autoridades muitas vezes não fazem nada’.