Juiz suspende projeto ferroviário próximo da tribo mais ameaçada do mundo

Mais de 30.000 pessoas apelaram ao Ministro da Justiça do Brasil para que salve a tribo mais ameaçada do mundo.

Mais de 30.000 pessoas apelaram ao Ministro da Justiça do Brasil para que salve a tribo mais ameaçada do mundo.

© Domenico Pugliese

Um juiz ordenou à maior companhia mineradora do Brasil que suspenda os planos para a duplicação de uma polêmica ferrovia. O projeto colocaria em risco os meios de sobrevivência da tribo mais ameaçada do mundo.

Em um enorme revés para a mega mineradora Vale, a Justiça Federal determinou a suspensão imediata das obras de expansão da ferrovia de Carajás, impondo uma multa de 50.000 reias por cada dia de incumprimento.

A floresta da tribo Awá do Brasil limita com a ferrovia existente, através da qual trens com 2km de extensão ligam a maior mina de ferro do mundo com a costa maranhense.

I Dongria Kondh vivono a Niyamgiri da migliaia di anni. Con la loro religione e il loro stile di vita hanno contribuito ad alimentare le dense foreste dell’area e a proteggere la sua ricchissima fauna.

Um dos trens mais longos do mundo passa a terra dos Awá.© Survival

Os índios têm feito ouvir a sua contestação aos planos da gigante mineradora, a quem acusam de ser uma ameaça para os seus meios de sobrevivência e aqueles dos seus parentes isolados.

Um Awá disse, ‘Nós não aceitamos a ampliação da ferrovia passando em frente ao nosso território. É muito ruim! Faz muito barulho! Os caçadores não caçam nada, a caça fica arisca e vai embora para longe’. 

Falando com a Survival International, a Vale disse que irá ‘ouvir todas as preocupações dos Awá [e] não obter a licença sem isso’.

Contudo, o veredicto sobre os estudos de impacto social e ambiental da Vale classifica esses esforços como ‘insuficientes’.

O veredicto também considera as audiências públicas da companhia ‘ineficazes’ e adverte a companhia sobre o perigo de causar ‘gravíssima degradação ambiental’.

A decisão segue uma Ação Civil Pública do Conselho Indigenista Missionário (CIMI), a Sociedade Maranhense de Direitos Humanos (SMDH), e o Centro de Cultura Negra do Maranhão (CCN/MA).

Há exatamente 100 dias, a Survival lançou uma campanha para salvar a tribo mais ameaçada do mundo, cujo território está sendo destruído por madeireiros, fazendeiros e colonos.

Até agora, mais de 30.000 pessoas já escreveram ao Ministro da Justiça do Brasil exigindo que ele faça mais na proteção do povo, cujo número não passa de 460.

A Fundação Nacional do Índio, FUNAI, acedeu em fazer dos Awá sua principal prioridade e alguns parlamentares do Reino Unido já abordaram a questão.

O diretor da Survival International, Stephen Corry, afirmou hoje ‘Assumindo que a decisão do juiz seja respeitada, trata-se de boas notícias para os Awá. Porém a ferrovia não é a única ameaça para a sobrevivência da tribo. Madeireiros, fazendeiros e colonos ainda estão desrespeitando escandalosamente a lei. Apesar de todas as garantias dadas pelas autoridades brasileiras, o estilo de vida Awá continua sendo ameaçado – precisamos de ação’.

Nota aos editores:

Embora a Vale não tenha licença para a duplicação de toda a ferrovia Carajás, em alguns trechos a construção já começou.